Conquista de Doutorado Prof. Adélia

por , em 12/12/2017 INSTITUCIONAL

A Profa. Adélia da Silva Saraiva conquista título de Doutora, em língua portuguesa, pela PUC São Paulo

Após cinco anos de muita pesquisa, a professora Adélia da Silva Saraiva defendeu na tarde do dia 23/03/17, sua tese de doutorado na PUC, São Paulo, perante banca composta pelos professores doutores: Regina Célia Pagliuchi da Silveira, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Presidente (Orientadora); Zilda Gaspar Oliveira de Aquino, Universidade de São Paulo; Irenilde Pereira dos Santos, Universidade de São Paulo; Neusa Maria Oliveira Barbosa Bastos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Luiz Antônio Ferreira, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Conforme declaração da Doutora Adélia, o ponto de partida do objeto da pesquisa sobre o tema da tese de 363 páginas: CARACTERÍSTICAS TEXTUAIS DISCURSIVAS DO GÊNERO REPORTAGEM EM REVISTAS IMPRESSAS, surgiu quando, em sala de aula, percebeu que os alunos tinham dificuldade de reconhecerem o gênero reportagem.  Confundiam com artigo de opinião, informativo, resenha, sinopse, sobretudo na plataforma digital, o que dificultava o aprendizado em Língua Portuguesa.

“A reportagem, de caráter interpretativo-opinativo, pode ser noticiosa ou temática e aborda um cenário de fato concluso” – enfatizou.

 A sessão de defesa da tese durou três horas e quinze minutos.

RESUMO

Esta tese está fundamentada em bases teóricas da Análise Crítica do Discurso (vertentes Social, Sócio-Cognitiva e Semiótica Social), princípios da Linguística Textual Discursiva, em um percurso multidisciplinar, complementada com estudos sobre Multimodalidade, além de discutir aspectos da área jornalística. Tem-se por objetivo geral contribuir com os estudos de gêneros textuais discursivos do discurso jornalístico quanto à caracterização do gênero textual discursivo reportagem de magazine em revistas impressas confrontada com a caracterização do gênero notícia. Por objetivos específicos, buscou-se: a) confrontar os participantes das práticas discursivas de revistas impressas e de jornais impressos paulistanos; b) identificar de que maneira esses gêneros modificam as cognições sociais, ao construírem opiniões para seu público leitor; c) confrontar as categorias semânticas Inusitado e Atualidade da notícia com as da reportagem; d) confrontar as categorias textuais que organizam o gênero reportagem com as do gênero notícia. Esta tese tem por hipótese que o gênero jornalístico reportagem sofreu modificações devido às mudanças sociais decorrentes das altas tecnologias pela velocidade de transmissão das informações já que o acesso à informação foi facilitado. O procedimento metodológico é teórico-analítico, documental, comparativo e qualitativo.  O material analisado foi coletado nas Revistas Veja e IstoÉ (seleção das publicações do primeiro semestre de 2013) e nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. Os resultados obtidos indicam que a reportagem se configura como gênero interpretativo-opinativo da área jornalística de evento concluso; linguisticamente é classificada como noticiosa e temática. Apesar de as categorias Poder, Controle, Acesso, Inusitado e Atualidade serem as mesmas nos dois gêneros, a reportagem difere-se da notícia na organização estrutural do texto reduzido e do expandido.

Palavras-chave: Reportagem e Notícia. Gênero Interpretativo-Opinativo. Jornalismo. Análise Crítica do Discurso. Linguística Textual. Multimodalidade.

Parabens a professora pela conquista do título!