Pular para conteúdo

Imagem: Destaque do Mês - Agosto
Data da publicação: 03 / 08 / 2018

Por Khayan Malantrucco e Priscilla Oliveira

 

 

Tudo que se espera de um professor é que, com a sua experiência e ensinamentos, ele seja capaz de fazer com que seus alunos se tornem os melhores profissionais em suas áreas de escolha. É do professor, a responsabilidade de abrir a mente e introduzir o vasto conhecimento que tem e que foi construído ao longo de sua vida. Fundamental é o papel do educador, que ensina seus educandos a ler o mundo e, esse é o papel do professor de gestão portuária, Alexandre Ricardo Machado que ministra a aula de Terminais Offshore, Transporte Marítimo e Comércio Exterior e Logística na Faculdade Estadual de Tecnologia da Baixada Santista – Fatec Rubens Lara.
Machado começou sua vida profissional em 1987 quando entrou para o Exército Brasileiro, lá graduou-se em Administração, Educação Física e posteriormente em Direito e Pedagogia. Têm diversas especializações nas múltiplas áreas que escolheu, como por exemplo, Petróleo e Gás e Ensino Superior, porém, o Direito lhe rendeu ainda um mestrado, explorando como foco o direito ambiental e posterior doutorado em Direito Ambiental Internacional. “Tenho minha própria empresa, onde advogo, faço consultorias. Estava lecionando apenas na pós-graduação, tive um convite para vir lecionar sobre Terminais Offshore na Fatec, fiz o concurso passei, efetivei e estou aqui”, diz.
Hoje em dia, além de lecionar, Alexandre Machado, resume sua carreira e divide suas atividades analisando a área de gestão portuária e petróleo e gás. “A carreira que eu resolvi tomar, depois que eu terminei o curso de direito até me aprofundar e chegar ao doutorado, basicamente foi focada na necessidade de mercado. Eu fui vendo as necessidades do mercado e fui completando meu currículo de acordo com a necessidade principal”, conta.
Começou na Fatec Rubens Lara no ano de 2015, ensinando sobre Terminais Offshore, Comércio Exterior e Logística e Transporte Marítimo. O educador ressalta que o que mais motiva a capacitar seus alunos é o fato de que todos que têm capacidade e que têm disponibilidade, deveria lecionar. “Todos me perguntam o motivo de ainda estar lecionando. Eu respondo, principalmente para quem veio de escola pública, vem de bolsa, qual retorno social disso para a sociedade? Temos que ter esse compromisso. Se você sabe um pouco mais, não custa nada. Eu fico indignado com algumas situações dentro da educação no Brasil e acredito que essa seja minha contrapartida com a sociedade. Eu não consigo me imaginar sem estar lecionando.”, reitera.
O projeto de vida do prof. Dr. Alexandre Machado para os próximos anos, continua focado na educação. O professor se prepara agora para uma reciclagem, ele começará seu pós-doutorado em breve e dá a dica final para quem pensa em prosperar. “Em todas as fases dos meus estudos, eu sempre fui bolsista, eu nunca paguei para estudar, eu procurei ser sempre o primeiro. Acredito que o estudo não tem que ser remunerado, ele tem que ser gratuito mesmo, mas o aluno tem que dar a contrapartida dele. Há de se ter um esforço para o objetivo final dele. É um legado que eu deixo, que a qualquer momento da vida da gente, a gente pode estar se transformando, que possamos aprender com o próprio mercado, ele é extremamente mutante, e cabe a você estar se recolocando nele. Já atuei administrativamente, fiquei treze anos da área de educação física, como professor, eu uso muito a pedagogia e direito, então, eu acabo usando tudo na minha vida pessoal e é essa a mensagem que eu quero deixar para os alunos. Qualquer um pode chegar, não importa a idade, parte pra cima, meu!(sic)”, finaliza Machado.

Fonte: Fatec Rubens Lara